Educação de Adultos de Jundiaí tem quase 3 mil alunos em 9 núcleos

“Eu sou muito grato ao CMEJA e estou muito satisfeito com as aulas no meu núcleo. Estou completando o Ensino Fundamental. Essa é a oportunidade que eu nunca tive. Por isso, convido as pessoas do bairro para que conheçam o núcleo e incentivo a estudarem também, pois não temos como melhorar de vida, se não for pela educação”, comenta o aposentado José Ferreira de Souza, um dos alunos do núcleo descentralizado, localizado na Emeb Deodato Janski, no Jardim Tarumã.

Atualmente, o Centro Municipal de Educação de Jovens e Adultos Professor Dr. André Franco Montoro possui 19 salas em nove núcleos espalhados pela cidade, além da escola no Complexo Argos, totalizando 2.700 alunos matriculados nos Ensinos Fundamental e Médio, nas modalidades presencial e semipresencial.

“O governo reconhece a importância da Educação de Jovens e Adultos e, apesar das dificuldades herdadas, estamos atuando para a melhoria da qualidade da educação e para que Jundiaí se transforme em uma cidade educadora, a qual gera oportunidade para todas as pessoas. Sabemos que a EJA possibilita com que muitos realizem o sonho de voltar a estudar ou de entrar em uma faculdade, melhorando a qualificação profissional”, destaca a diretora do CMEJA, Maria Eneida Salvadori.

Além da efetivação de 700 novas matrículas na escola e da realização de um mutirão para a realização de testes de escolaridade em 173 alunos, que estavam parados há três anos, dando a oportunidade para que essas pessoas retomassem os estudos, a unidade também fez ajustes no calendário do Ensino Médio, sem o comprometimento do conteúdo pedagógico, a fim que os jovens e adultos possam concluir com mais rapidez essa etapa do ensino. Outra novidade é que o aluno que tem disponibilidade de horário pode optar por cursar duas matérias ao mesmo tempo.

“Também houve a necessidade de fazermos um planejamento mais específico para os núcleos e, diante da inviabilidade de manter salas abertas em locais com baixa procura de alunos, neste segundo semestre, não serão abertas turmas na Emeb Professora Armanda Santina Polenti (Parque São Luiz), na Casa Azul (Jardim Fepasa) e na Destro (Engordadouro). É importante esclarecer que, no semestre passado, sete alunos frequentaram as aulas nesses locais, sendo quatro na Emeb Armanda, um na Casa Azul e dois na Destro”, explica.

Segundo ela, a equipe de gestão da escola esteve nos três locais para conversar com os estudantes. Caso exista algum interessado das três regiões em concluir os estudos, o CMEJA garantirá vaga no Complexo Argos, com o fornecimento de passe de ônibus.

Mais ações
Para este semestre, os núcleos receberam kits de material escolar, montados com a reserva técnica adquirida pela Unidade de Educação, para uso nos espaços.

“Também iniciaremos a construção, junto com os professores, de um material específico para os cursos semipresenciais. Será um material de pesquisa”, acrescenta Maria Eneida.