Polícia abre inquérito após 14 mortes de idosos em abrigo

Há duas semanas o “Jornal da Região” vem publicando o elevado número de mortes de idosos no sítio Rainha da Paz, mantido pela Missão Belém, da Igreja Católica, no bairro Campo Largo, em Jarinu. Na primeira semana foram seis mortes. Na segunda semana subiu para 12 mortos e até esta quarta-feira o número aumentou para 14 óbitos. Diante desse quadro a Delegacia Seccional de Polícia Civil em Jundiaí determinou a abertura de inquérito para apurar cada uma das mortes.

Em entrevista para o “Jornal da Região”, o coordenador Maicon Ortiz Danullío, disse que a instituição recebe os idosos – a maioria moradores de rua -, que não têm para onde ir e os acolhe. Ele explica que as mortes foram naturais, dentre elas com parada cardíaca e HIV, não tendo relação com o frio intenso dos últimos dias ou casos de infecções por  bactérias.

“Nós passamos pela fiscalização da Vigilância Sanitária e tudo estava em ordem”, comentou.

Para a promotora de Jarinu, Aline Morgado da Rocha, a instituição está em situação irregular por não preencher os requisitos necessários para o serviço prestado. “Eles agem como uma clínica de reabilitação, mas não são uma clínica juridicamente, não tem um corpo de funcionários adequado, não tem controle das pessoas que entram e saem dali”, declarou.