Auditoria aponta falhas financeiras na ACE | JORNAL DA REGIÃO

Auditoria aponta falhas financeiras na ACE

O interventor da Associação Comercial e Empresarial (ACE) de Jundiaí, o advogado Dirceu Cardoso, encaminhou para a Justiça da cidade um relatório de auditoria elaborada pela equipe da Carminato Associados, que aponta várias falhas financeiras na entidade, durante a presidência de Reges Donatti Filho. O ex-presidente disse ao “Jornal da Região” que está surpreso com o resultado e afirma que a equipe de auditoria não o chamou ou a antiga diretora financeira, para prestarem esclarecimentos sobre os gastos.

Na auditoria há vários questionamentos, como a realização do show do Jota Quest no Clube Uirapuru por R$ 260 mil, no aniversário da Associação Comercial. O auditor diz que foram arrecadados dinheiros dos ingressos, sem discriminação em caixa e que não houve aprovação em Assembleia para essa quantia.

Há questionamentos quanto aos gastos sem notas fiscais de R$ 30 mil com cartão de crédito, empréstimo de R$ 200 mil da Sicred, também sem passar por Assembleia, pagamentos de R$ 500 mil em comissões para funcionários, além de pagamentos sem comprovação para um prestador de serviços da ordem de R$ 184 mil, sendo que o salário mensal dele era de R$ 1.900,00, em um ano. Com marketing foram gastos cerca de 200 mil. Também foi considerado irregular a locação de imóvel do próprio presidente para a Associação, com reajuste de R$ 4 mil para R$ 6 mil, em dois anos.

Outro lado

O ex-presidente Reges Donatti, que é candidato à reeleição da Associação disse que ficou surpreso. Ele não sabia da realização dessa auditoria e disse que não foi consultado para apresentar contra-provas. Também disse que a contabilidade está diferente em relação ao que deixou e foi entregue para todos os candidatos à presidente, em relação ao que foi apresentado pela Carminato Associados. “Eles não me procuraram para justificar os gastos e mostrar as provas”, disse.

Nesta quinta-feira Reges pretende divulgar uma nota oficial assinada pela sua equipe de advogados. “Se eu fosse bandido e tivesse tirado R$ 2 milhões da Associação não estaria mais em Jundiaí. Isso é uma injustiça. Vou apresentar a minha defesa”, comentou.

Justiça

No documento entregue à Justiça, o interventor Dirceu Cardoso pediu a investigação das contas pelo Ministério Público e pela Polícia Civil.

%d blogueiros gostam disto: