BAEP faz mais prisões no “Mata Louco”

O Batalhão de Ações Especiais (BAEP) da Polícia Militar realizou neste final de semana mais quatro prisões de garotas de programa e seus seguranças, que praticavam extorsão a clientes em casa de prostituição do Jardim Itatinga, em Campinas. Durante a última semana mais quatro pessoas foram presas por cárcere privado e extorsão de R$ 40 mil de um cliente.

Desde que o Primeiro Comando da Capital (PCC) assumiu algumas casas do bairro de Campinas, as extorsões se tornaram diárias. Há relatos de pessoas desaparecidas que foram encontradas mortas, porque não tinham dinheiro para pagar nas casas.

Na contabilidade apreendida pelos soldados do BAEP neste final de semana, um programa com as garotas custava R$ 200,00, mais R$ 200 do quarto e R$ 45,00 o preservativo.

Há menos de um mês um morador de Jundiaí prestou queixa na Polícia porque foi vítima do golpe denominado “Mata Louco”, sendo obrigado a pagar R$ 8 mil.

O cliente que denunciou neste final de semana o grupo de uma das casas foi obrigado a pagar R$ 3.439,00.

Em Sorocaba, a Polícia Civil prendeu uma garota de programa que usava de sua sedução para saber quando as casas de clientes ficariam vazias, para praticar assalto junto com comparsas.

 

%d blogueiros gostam disto: