Homem fica preso 3 horas dentro do próprio carro

Um homem de 34 anos ficou preso dentro do próprio carro, por três horas, em Jundiaí, na noite de quinta-feira (30). Ele entrou no veículo com a chave na porta, do lado de fora. Ao fechar o veículo, o alarme acionou as travas elétricas.

O motorista ficou desesperado e tentou de tudo quanto foi jeito sair do veículo.

A buzina não funcionava e os vidros não abriam.

Como o carro possui insulfilme nos vidros, ninguém na rua via o homem, que entrou em desespero.

O fato ocorreu às 21 horas na avenida Reynaldo Porcari, no Medeiros, em uma região deserta do bairro.

Depois de três horas preso, e sem telefone celular para pedir socorro, o motorista começou a gritar. Um grupo de pessoas que fazia caminhada estranhou os gritos e foi verificar o que estava ocorrendo.

A porta foi aberta e o homem estava suando bastante, com falta de ar. Os populares queriam acionar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), mas o motorista não quis ser socorrido. Ele queria mais é ir embora para casa. Um leitor do “Jornal da Região” fotografou.

Histórias de carros
Em Jundiaí já ocorreram várias situações envolvendo carros. Soldados do Corpo de Bombeiros tiveram de quebrar os vidros de um veículo na rua Tiradentes, na Vila Rio Branco, próximo ao Maxi Shopping, para socorrer uma criança de 1 ano e meio que ficou presa na cadeirinha, no banco traseiro. A mãe desceu e esqueceu a chave no contato. A trava elétrica impediu a abertura das portas e a criança ficou chorando bastante até a chegada do socorro.

Na rua Barão do Teffé, no bairro do Anhangabaú, a situação foi com um cachorro e os bombeiros também foram acionados para abrir o veículo.

Mas também existem situações curiosas, como a de uma jovem de Jundiaí que foi ao Maxi Shopping e entrou em um carro. Ela abriu a porta, guardou as compras e foi embora para casa, na avenida dos Imigrantes. Quando estacionou o veículo na garagem percebeu que havia algo estranho, apesar de ser o mesmo modelo do seu e a mesma cor. Ela olhou as placas e não era o seu carro. A motorista voltou ao centro de compras e conseguiu deixar o carro na mesma vaga em que estava. Depois pegou o seu carro e voltou para casa.

Na rua Rangel Pestana, no Centro, em frente ao Palácio do Comércio, outro motorista também pegou carro errado e só em casa percebeu que era outro veículo e voltou no Centro para “devolver” o veículo.