Temer autoriza o trem rápido Jundiaí a SP

O presidente Michel Temer garantiu ao secretário de Transportes Metropolitanos do Estado, Clodoaldo Pelissioni, em Brasília, que o projeto do Trem Intercidades, que ligará São Paulo a Jundiaí em 25 minutos e até as cidades de Campinas e Americana será incluído no programa de concessões da União. Esta medida qualifica o projeto, avaliado em cerca de US$5 bilhões, a receber financiamento do BNDES.

O presidente afirmou que o Governo Federal vai ceder a faixa de domínio do transporte de cargas até abril. Este era um dos entraves para a viabilidade do Trem Intercidades.

A audiência também contou com a presença do deputado federal, Vanderlei Macris, do presidente da Alesp, deputado Cauê Macris, do ministro dos Transportes, Maurício Quintella Lessa, do diretor-presidente da ANTT, Jorge Passos, e do secretário executivo do PPI Adalberto Vasconcelos.

“Este trem é muito importante porque tem alta capacidade de transporte, integrando regiões metropolitanas, facilitando o ir e vir das pessoas e com qualidade. São trens modernos e de velocidade média. E temos a boa notícia para darmos continuidade ao projeto”, disse o governador Geraldo Alckmin.

Segundo o deputado Vanderlei Macris, outro ponto a ser destacado na reunião foi a concessão desta linha férrea. “A estrutura já existe a partir da linha férrea do transporte de cargas, sem a necessidade de desapropriações ou licenças ambientais, faltava apenas o aval para que a as duas modalidades, carga e passageiros, pudessem compatibilizar”, completou Macris.

Cauê Macris, presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, afirma que este projeto é um marco na mobilidade do Estado.“São Paulo viverá um novo tempo com o Trem Intercidades. A volta do transporte de passageiros por meio dos trilhos é seguro, econômico e vital para facilitar o deslocamento dos grandes centros. Com a confirmação do presidente, saímos daqui com a garantia dessa excelente notícia para todos os paulistas”, finalizou.

A CPTM já havia realizado todos os estudos para o projeto, mas dependia do Governo Federal para utilização da malha ferroviária. A empresa chegou a fazer estudos para construções de novas estações nas cidades da região.

Em 2011 a CPTM previa que o preço da passagem para o trem rápido seria de R$ 12,00 a R$ 15,00.

%d blogueiros gostam disto: