Marcão vai denunciar Bocalon ao MP por rombo

A Prefeitura de Itupeva convocou a imprensa para anunciar o resultado do levantamento sobre as dívidas do município acumuladas pelo governo passado, do ex-prefeito Ricardo Bocalon. Em 40 dias de apuração, os técnicos identificaram R$ 213 milhões em débitos – o equivalente ao orçamento anual da cidade para 2017, que é de R$ 220 milhões.

Além do rombo, o prefeito Marcão Marchi (PSD) denunciou também a existência de R$ 8 milhões em notas fiscais não contabilizadas pela Prefeitura. Elas estavam escondidas em um armário no Paço Municipal.

São centenas de documentos que estavam em caixas, guardadas no fundo do armário. Processos de compra de medicamentos, insumos e também de serviços nas áreas de Saúde e Educação. Com as notas que não foram lançadas, a dívida do município chega ao absurdo de R$ 221 milhões e supera o orçamento de Itupeva para este ano.

“O que vimos aqui nos últimos quatro anos foi um tsunami de irresponsabilidade com o dinheiro público. O levantamento era necessário para sabermos o tamanho do rombo deixado pelo antigo governo, mas jamais esperaria encontrar notas fiscais escondidas, sem que fossem lançadas na contabilidade do município. Isso é fraude”, afirmou Marcão Marchi.

Agora, a Prefeitura terá de fazer uma nova análise, desta vez para saber se os serviços contidos nas notas foram realmente executados e se os valores empenhados condizem com a realidade. “Vamos chamar esses fornecedores e tentar saber deles o que houve. Tudo o que está sendo apurado por nós será encaminhado ao Tribunal de Contas e ao Ministério Público”, completou o prefeito.