Começam as aulas de hotelaria em Jundiaí

Foi pensando em voltar ao mercado de trabalho que Cláudia Martins Silva se inscreveu para o curso de Camareira, oferecido de graça pelo Fundo Social de Solidariedade (FUNSS) em parceria com o Centro Paula Souza e a ETEC Benedito Storani. Desempregada há um ano, a motorista escolar decidiu apostar em uma nova área profissional. “Com a crise, muitos pais optaram por não renovar o contrato de transporte dos filhos. Passei a ter mais prejuízo do que lucro. Foi quando me vi em uma situação delicada, com assistente para pagar e pouco dinheiro no caixa, que resolvi deixar este ofício”, explicou.

O conhecimento sobre o curso veio por meio da mãe de Cláudia, com quem mora ao lado do filho, de 8 anos. O perfil de governanta, avaliado pelo professor, já desperta o interesse em voltar a estudar e cursar o ensino superior em Hotelaria. “Nas aulas, ouvimos bastante que o segmento voltará a aquecer. Também aprendemos que o trabalho é muito amplo e nos permite crescer dentro das empresas”, disse ela. A evolução profissional é, realmente, trabalhada pelo professor William Estevão dentro em sala de aula. Segundo ele, é preciso quebrar o preconceito com determinadas funções. “Aqui, homens e mulheres aprendem desde o envelopamento da cama, a maneira correta de higienizar peças até a preparar e preencher formulários de controle das empresas. No entanto, é com a dedicação e o empenho que os profissionais podem conquistar postos mais altos, como supervisores de andares, governantas e até gerente geral”, afirmou Estevão.

De acordo com o professor, o setor hoteleiro retoma o aquecimento em Jundiaí. Hoje, são cerca de 20 hotéis e, até 2020, a expectativa é que sejam construídos entre três e cinco novos empreendimentos do segmento. Além disso, estes profissionais também são absorvidos pelo ramo da hospitalidade: “Redes hospitalares têm optado por melhorar o atendimento aos pacientes oferecendo este tipo de serviço, o que gera mais uma oportunidade de trabalho”.

QUALIFICAÇÃO

Se o profissional busca uma nova chance o quanto antes, o mercado de trabalho também tem pressa. William Estevão explica que o tempo de treinamento é escasso, por isso, a necessidade da formação: “O Brasil trabalha com padrão internacional de hospedagem. Assim, se a camareira é qualificada, se ela já se preparou e sabe os procedimentos básicos, o hotel precisa ensinar, apenas, o padrão da rede, por exemplo”.

A gerente geral de um hotel da cidade, Maria Amélia Pazinatto, reforçou a importância da capacitação. A empresa onde ela trabalha prevê a retomada de admissões para o segundo semestre de 2017. “Cursos rápidos e de boa preparação são excelentes alternativas. Nosso setor começa a reagir e, em breve, haverá novas contratações. Quem estiver preparado, certamente, vai se destacar e conseguir uma vaga”, afirmou ela. A convite do professor Estevão, Maria Amélia conheceu a turma durante um workshop e garantiu: “Fiquei muito feliz com a metodologia aplicada e o perfil dos alunos. Quando for o momento de contratar, quero começar a seleção com os participantes daqui”.

%d blogueiros gostam disto: