Procon orienta pesquisa antes de comprar material escolar

Bárbara Leão

Quando se fala em despesas de começo de ano, a orientação é sempre a mesma: pesquisar, cotar. Nos gastos com materiais escolares a regra é a igual, se os pais pretendem fazer uma boa economia. Os dados do Procon-SP comprovam: a diferença de preço de um mesmo produtos nas lojas chega a 457,14%.

A disparidade fica mais clara com o exemplo do lápis Natarja HB nº 2 fabricado pela CIS/Sertic, que custa R$ 0,35 em um estabelecimento e R$ 1,95 em outro. Sendo esse o valor mais caro identificado na pesquisa. A diferença no valor do produto foi de R$ 1,60 e o preço médio constatado pelo Procon-SP foi de 0,84.

O órgão comparou 168 produtos, entre eles apontador, borracha, caderno, canetas esferográficas e hidrográficas, colas em bastão e líquidas, fita corretiva, giz de cera, lápis pretos e coloridos, lapiseira, marca texto, massa de modelar, papel sulfite, refil para fichários, régua e tesoura. Foi constatado que os produtos tiveram alta no preço de 12,97%.

A comparação também foi anual. Em relação ao mesmo período de 2015, os produtos ficaram acima da inflação do período, quando o Índice de Preços ao Consumidor (IPC-SP) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE) foi de 6,65%.

Outra dica para o consumidor é verificar se os filhos já possuem algum item da lista e que esteja em bom estado de uso. Pesquisar em diferentes papelarias é essencial.

%d blogueiros gostam disto: