DAE investe contra furto de água

A DAE Jundiaí está implantando um projeto piloto para agilizar o corte de água através da instalação de dispositivo magnético na entrada de água, contribuindo para a redução da inadimplência.

Este dispositivo será instalado na caixa padrão, e nos conjuntos de entrada de água já existentes, toda vez que houver necessidade de corte por falta de pagamento. Desde a implantação do projeto piloto, já foram instalados 40 registros.

Nesta primeira etapa a DAE investiu cerca de R$ 15 mil na compra de 305 registros magnético, mas já existe um processo licitatório para a aquisição de mais 8.500.

Até a aquisição destes registros magnéticos a DAE efetuava o corte com o obturador de fluxo de água e obstrução na calçada. Por este método, onde a operação é mais demorada, já foram realizados 1.400 cortes de janeiro a julho deste ano.

O diretor-presidente, Jamil Yatim, explica que a instalação do novo registro é um recurso extremo da empresa para evitar inadimplentes. “A DAE está em campanha de inadimplência e já contratamos uma empresa para negociar as dívidas de nossos clientes. Queremos negociar antes de ter que cortar a água. ”

Segundo Jamil, a Campanha de Inadimplência vem dando um resultado positivo e os clientes estão procurando a empresa para quitar contas em atraso, mas o retorno ainda não é o esperado comparando como o estoque da dívida da DAE que está entre R$ 20 milhões. “A recuperação deste valor é fundamental para a continuidade de investimentos em água e esgoto no município. “Quem estiver disposto a negociar e só procurar os Postos de Atendimento na nossa sede e nos bairros Ponte São João, Centro, Vila Arens e Eloy Chaves ou através de nosso 0800-133 155”.

Outra ação para conter a inadimplência é a negativação de clientes. A DAE está em processo de contratação da Boa Vista SCPC, empresa que irá realizar este serviço e o cliente ficará com o crédito suspenso em todo o País.

Ligações clandestinas –  Outra forma de recuperar receita é intensificar a localização de ligações Clandestinas (“gatos”). Jamil lembra que segundo a Resolução nº136, da Ares PCJ, que aprovou o Regulamento de Prestação de Serviços e Atendimento aos Usuários da DAE, “qualquer intervenção indevida nos equipamentos e/ou nas instalações dos serviços públicos de abastecimento de água e/ou esgotamento sanitário de responsabilidade da DAE Jundiaí, inclusive ligação clandestina, é considerada uma infração gravíssima, passível a multa no valor de R$ 6.780,00.

Recentemente, após denúncia de ligação irregular feita diretamente à Polícia Civil, a DAE teve que abrir a calçada e lacrar a ligação em um imóvel da rua Diácono Egidio Marreti, no Residencial Jundiaí.

No local já não havia hidrômetro, retirado pela empresa em janeiro de 2015 por falta de pagamento de R$ 11 mil. Desde então os moradores passaram a furtar água em uma ligação clandestina. Agora, com esta denúncia anônima, foi instaurado inquérito e o responsável pelo imóvel responderá criminalmente.

Ele terá de pagar, além da multa, os R$ 11 mil que já devia mais o que deixou de pagar em relação a ligação clandestina, o que dá em torno de R$ 6 mil.

Além deste tipo de fraude, em que o cliente liga sua rede diretamente à da rua, também existe a intervenção direta do hidrômetro. Através de obstrução por mecanismos externos, o aparelho é violado para registrar valores menores de consumo.

Nestes casos, segundo o presidente, é feito o cálculo, conforme histórico de consumo para identificar os valores que não foram registrados. “Aplicamos a tarifa da época para pagamento imediato.”