Domingo de protesto contra a Nissan

Preocupados com a situação dos trabalhadores da Nissan em Canton, Mississippi, EUA, metalúrgicos e comerciários da cidade de São Paulo irão às ruas neste domingo, dia 24, com faixas, protestar contra a presença da Nissan, notória violadora da convenção da ONU DOS DIREITOS HUMANOS, como patrocinadora oficial dos Jogos Olímpicos Rio 2016.

Os metalúrgicos entendem que no evento maior do calendário esportivo mundial, que celebra a superação humana e o fair play, uma empresa que tem pouco ou nenhum apreço pelo homem não tem vez.

A Nissan North America promove uma agressiva campanha antissindical em sua fábrica da cidade de Canton, estado do Mississippi, adotando práticas antiéticas e ilegais para intimidar seus trabalhadores, especialmente os mais vulneráveis.

Tais práticas são completamente incompatíveis com o Código Básico da Iniciativa Ética Comercial, que é o cerne do Guia da Cadeia de Suprimentos Sustentável dos Jogos Olímpicos, documento que a Nissan firmou para poder patrocinar os jogos.

Entidades sindicais brasileiras e internacionais já pediram formalmente ao Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos Rio 2016 que exija da Nissan um plano de ação corretivo. No dia 11 de abril, os trabalhadores e diversas entidades sindicais cobraram da Nissan, durante audiência pública na Comissão de Direitos Humanos do Senado, que respeite nos Estados Unidos o direito de os trabalhadores se sindicalizarem.

Fatos:

Aproximadamente metade dos trabalhadores da Nissan é terceirizada, ganhando menos de 1/3 do salário de um trabalhador sindicalizado exercendo a mesma função, com planos de saúde precários (quando existentes), jornadas exaustivamente longas e sem férias remuneradas.

Os trabalhadores são obrigados a comparecer a seções de doutrina antissindical, assistir vídeos antissindicais nos refeitórios e nas salas de descanso, são ameaçados de demissão e/ou penalizados em suas funções ao menor sinal de que pretendem votar pela instalação do sindicato, tendo havido inúmeros casos de demissão. A empresa também espalha sistematicamente boatos de que a fábrica será fechada e transferida para o México, com a demissão de todos os seus funcionários, caso os trabalhadores consigam a sindicalização.

Uma investigação do Conselho Nacional de Relações Trabalhistas dos EUA (NLRB) incorporou, a partir do relatório Escolhendo Direitos, a denúncia de que a Nissan teria violado a lei federal e discriminando ilegalmente.

A Nissan é a principal patrocinadora dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016. Como tal, deve obedecer ao Código Básico da Iniciativa Ética Comercial, que é parte central do Guia da Cadeia de Suprimentos Sustentável e é um documento importantíssimo para o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016.

O Guia Básico da Iniciativa Ética Comercial diz que a liberdade de associação e o direito a negociação coletiva devem ser respeitados pela empresa.

Tanto a Nissan Brasil como a Nissan North America são parte da Nissan Motor Corporation.

A iniciativa tem o apoio do Sindicado dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes, filiado à Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos (CNTM) e à Força Sindical; e do Sindicato dos Comerciários de São Paulo, filiado à União Geral dos Trabalhadores (UGT).

Serviço:

9h00 – Início das manifestações em frente ao Masp, na Avenida Paulista

12h00 – Manifestação em frente à loja da Nissan na Avenida Brasil, 1.506, no Jardim América