Hopi Hari contesta matéria da IstoÉ

O Hopi Hari emitiu uma nota contestando reportagem da revisto IstoÉ, de que o parque de diversões de Vinhedo estaria afundado em crise, sem condições de se manter financeiramente. Veja a nota na íntegra:

O pedido de falência movido pelo Sr. Cesar Federmann em janeiro de 2016 não foi
acolhido pela Justiça por falta de base legal e, por consequência, foi extinto em 19 de
janeiro de 2016. O Hopi Hari e o Sr. Cesar Federmann firmaram um Acordo, que
inclui um Contrato de Locação e de Opção de Compra da nova Montanha Russa,
pelo qual encerraram as controvérsias legais entre as Partes em 30 de março de
2016, conforme Fato Relevante publicado pelo Hopi Hari. O Acordo entre as Partes
contém cláusula de confidencialidade.
O Hopi Hari afirma que desconhece os pedidos de falência mencionados na matéria e
informa que os fornecedores ali citados encontram-se equacionados. A nova equipe
de gestão iniciou um trabalho de revisão de fornecedores e já contatou um grande
número deles, visando validar os valores pretendidos e acordar formalmente um
equacionamento viável tanto para o fornecedor quanto para a Companhia. A revisão
de fornecedores é parte integrante do plano de restruturação do Hopi Hari, é
demorada e trabalhosa, e deve ser acelerada a partir de meados de setembro de
2016. O Hopi Hari mantém conversas ativas com todos seus fornecedores de quem
tem recebido amplo apoio para a restruturação operacional e financeira da
Companhia.
O Hopi Hari tem menos de R$ 2 milhões de dívidas com bancos comerciais privados,
valor inferior ao faturamento de um mês, e mantém-se adimplente com seus bancos.
O BNDES acompanha de perto o trabalho da nova equipe de gestão, apoiando o
Hopi Hari sempre que possível com o objetivo contribuir para otimizar a
reestruturação da Companhia. O Hopi Hari enfatiza que já amortizou mais de R$ 15
milhões do financiamento contratado para a construção do Parque com o BNDES e
que a data de vencimento é 2029.
De acordo com a Lei da S.A., a determinação do limite global máximo de
remuneração fixa dos Administradores é uma exigência legal. O limite global máximo
legal é aplicado como o valor máximo agregado para todos os Administradores da
Companhia, não apenas para os Membros do Conselho de Administração, não
existindo a obrigação da Companhia incorrer nesta despesa. Afirmamos que não
houve aumento de 30% no limite global máximo de remuneração fixa dos
Administradores para 2016, conforme mencionado na matéria, já que o limite
global máximo legal válido para 2015 foi mantido para 2016.
A Companhia gasta uma pequena fração do valor determinado no limite global
máximo de remuneração fixa dos Administradores, sendo o saldo
contingenciado pelo esforço de redução de custos fixos.
Ao final de 2015 o Conselho de Administração determinou a montagem de uma nova
equipe de gestão para iniciar um programa de restruturação da Companhia.
A nova equipe de gestão teve sua composição completada em janeiro de 2016,
quando começou a trabalhar efetivamente, e tem três objetivos formais para alcançar
até dezembro de 2018:
1. Margem de EBITDA de 22% das receitas líquidas;
2. Margem de Geração de Caixa Livre de 15% das receitas líquidas; e
3. Índice de Dívida Líquida sobre EBITDA de 3,5x.
O Conselho de Administração confia que as metas serão atingidas em seu devido
tempo. Os resultados iniciais da nova equipe de gestão, em apenas seis meses de
trabalho, já começaram a aparecer:
1. Crescimento de 20% no volume de visitantes de janeiro até maio de
2016, em comparação ao mesmo período de 2015;
2. Crescimento de 29% no volume de faturamento de cartões de crédito de
janeiro até junho de 2016, em comparação ao mesmo período de 2015;
3. Novo contrato de patrocínio para a pintura do parque com a Sherwin Williams,
a maior fabricante de tintas do mundo;
4. Novo contrato de patrocínio para substituição da iluminação do parque por
tecnologia LED com a FLC, uma das principais fabricantes de lâmpadas do
Brasil;
5. Novo contrato de patrocínio com a Unilever com a marca Hellmann’s;
6. Renovação do contrato de patrocínio com a Coca-Cola FEMSA;
7. Renovação do contrato com a Estapar;
8. Novo contrato com a Mitsubishi para sediar a etapa de agosto de 2016 do Rali
Mitsubishi;
9. Licenciamento da marca “Noites do Terror” do Playcenter para a realização do
maior evento de halloween da América Latina, de agosto a novembro de
2016.
O volume de contratos de patrocínio firmados nos primeiros seis meses de 2016 é
superior ao volume firmado nos anos de 2015 e 2014, somados. O apoio destes
patrocinadores, todos líderes em suas categorias, endossa o Hopi Hari como
uma plataforma de entretenimento e marketing única no mercado brasileiro.
A nova equipe de gestão trabalha com metas agressivas e segue executando
o plano de remodelar o negócio com dedicação e confiança.